quinta-feira, 27 de setembro de 2012

4 meses com ela

Dia 25 de setembro, Júlia completou 4 meses. São 4 meses de muita alegria, novas habilidades, noites mal dormidas, tarefas pela metade e, acima de tudo, muito amor.

Nesse mês, ela aprendeu a pegar objetos com mais firmeza e passar de uma mão para outra. Antes, ela enfiava a mão toda na boca, agora aprendeu a chupar um dedo por vez.

Júlia tem se mostrado muito mais comunicativa, emite algumas sílabas, grita, ri e nos alegra muito. Já não gosta tanto de assistir tv, prefere ficar junto com a mamãe mesmo que seja apenas para me observar do carrinho.

Ela já aprendeu a sentar, mas ainda não tem tanta firmeza para fazer isso sozinha, mas consegue ficar sentada por alguns segundos antes de cair para o lado. Também aprendeu a virar e, ao fazer isso pela primeira vez, quase matou os pais de tanto susto. Ela estava de bruços na cômoda, queríamos tirar um foto e bem na hora, ela resolveu virar... Na hora nem pensei, saí correndo para segurá-la, fiquei com medo pois ela quase caiu no chão. Comecei a tremer e nem consegui trocar a roupa dela depois, mas depois que passou o susto, eu e o papai ficamos muito felizes por mais uma habilidade adquirida pela nossa pequena.

Mais um mês sem cólicas e também sem chupeta! A Ju passou a rejeitar a chupeta até na hora de dormir, então parei de oferecer. Por outro lado, agora ela só dorme mamando. É cansativo ter que colocá-la no peito cada vez que ela quer dormir, mas adoro esse momento só nosso. Agora ela aprendeu a apertar o peito pra mamar e faz carinho em mim, algumas vezes larga o peito, sorri e começa a conversar. É pra matar a mamãe de amores! (: 

Ela mata a mamãe de cansaço, também. Já faz algumas semanas que ela não dorme por mais de 2h seguidas durante a noite, acorda muitas vezes pra mamar. As sonecas diurnas também são curtas, dificilmente passam de 1h. Nem sei mais o que é dormir bem, o papai também não sabe, pois é ele quem levanta todas as vezes para pegá-la e ainda acorda cedo pra ir trabalhar. Estamos um caco de tão cansados, mas esquecemos tudo isso cada vez que somos contemplados com um enorme sorriso às 7h da manhã...

Tem dias que olho para ela e sinto saudade do meu bebezinho recém-nascido, mas estou tão fascinada com cada descoberta, com seu desenvolvimento, que a saudade passa logo e me dá vontade de vê-la crescendo e aprendendo cada vez mais.

A cada dia que passa, me sinto mais feliz e realizada por ter essa linda família ao meu lado. É muito cansativo e estressante ser mãe, esposa e dona-de-casa, mas sou feliz por ter sido abençoada com a presença do Gustavo e da Júlia em minha vida.


terça-feira, 18 de setembro de 2012

É muito amor!

Analisando os últimos três meses, vi o quanto minha vida mudou depois do nascimento da Júlia. Mudou pra melhor, claro!

Passei por uma enorme transformação durante a gravidez, mas ter um bebê nos braços é muito diferente de ter um bebê na barriga.

Depois que a Ju nasceu, descobri que tenho mil e uma habilidades que nunca imaginei ter. Descobri que tenho 8 braços pra dar conta de tudo o que tenho pra fazer E também cuidar dela. Descobri que posso dormir muito "bem", mesmo sendo acordada de 1 em 1 hora durante a noite e passar o outro dia de -quase- bom humor.

O que seria da minha vida se eu não tivesse esse lindo bebê comigo?? Sempre me faço essa pergunta, imagino um milhão de possibilidades, mas nenhuma resposta é satisfatória. Percebi que não posso viver sem o sorriso banguela que recebo todas as manhãs ao tirá-la do berço. Não posso viver sem os gritinhos durante nossas "conversas". Não posso viver sem as gargalhadas durante as brincadeiras. Simplesmente não posso viver sem minha Júlia...

Não há medo, problemas ou desavenças que superem o amor que eu e o Guto sentimos por ela. Esse é um amor puro, que não tem como explicar e que só aumenta a cada nova descoberta, a cada nova fase em seu desenvolvimento e a cada novo dia que passamos ao seu lado.

E depois de mais de três meses, posso dizer com todo orgulho: 

Amo ser mãe, amo cuidar da nossa família e muito mais do que isso, amo a Júlia