quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Dia Mundial do Aleitamento Materno

Hoje é o Dia Mundial do Aleitamento Materno e, por isso, venho contar a vocês minha experiência com a amamentação.

Toda vez que eu via uma mãe amamentando seu filho, achava que era a coisa mais linda e simples do mundo. Continuo achando linda, mas descobri que não é nada simples, é muito mais do que apenas colocar o bebê no peito e deixá-lo sugar.

Amamentei a Júlia pela primeira vez 5 horas após o parto. Foi estranho, senti dor, ardeu, parecia que ela ia arrancar meu mamilo. É uma dor que você sente no fundo da alma... Segunda mamada, mesma coisa. Me segurei pra não chorar de dor, mas insisti. Fui pensando: "Vai ficar mais fácil...".
Amamentando pela primeira vez.

Aí você deve estar pensando: "Se dói tanto, por que insistir?". Simples. Insisti porque sempre soube dos benefícios do aleitamento materno e o que não sabia, procurei me informar. O leite materno é completo e, além de ser rico em nutrientes, também ajuda o bebê a criar anticorpos, entre outras coisas. Além disso, amamentar ajuda o bebê a criar vínculos com a mãe. Nada melhor do que ver seu bebê te olhando enquanto mama, quase como se agradecesse por você se dispor a alimentá-lo.

A Júlia não conseguia pegar muito bem o peito e, quando conseguia pegar, não mamava muito. Por conta das dores, eu não insistia pra que ela mamasse mais. Nos primeiros dias de vida, o bebê tem uma reserva de energia, mas uma hora essa energia acaba. Resultado: no terceiro dia de vida, Juju teve hipoglicêmia e tive que dar leite artificial. O leite artificial mata a fome, mas não é tão completo quanto o leite materno.

Quando finalmente pegou o peito.
Dar mamadeira naquela época foi prático, pois eu sentia muitas dores nos seios e também tive muitas dores no pós-parto, amamentar ainda era uma tortura. Com isso, eu comecei a odiar a amamentação e fui me rendendo à mamadeira. Quando dava o peito era sempre com preguiça e má vontade. Me senti uma péssima mãe por isso, eu queria amamentar minha filha, queria que ela crescesse forte e saudável, mas ao mesmo tempo me sentia incapaz de fazer isso.

Precisei de muito apoio para dar continuidade à amamentação e a pessoa que mais me ajudou foi o Guto. Ele que brigava comigo quando eu tinha preguiça de amamentar, foi atrás de mais informações para que eu conseguisse amamentar melhor, dos benefícios para mim e para a Júlia, e com isso, fui deixando a mamadeira aos poucos.

Isso não quer dizer que eu gostava de amamentar, muito pelo contrário, odiava cada vez mais. Continuei insistindo pelo bem da Júlia, pela praticidade (porque preparar mamadeira requer muito tempo) e porque leite artificial é muito caro.

E assim fomos, amamentando de má vontade, mas amamentando...

E começou a ficar mais fácil...
As dores diminuíram, eu fui pegando o jeito e a Ju aprendeu a pegar o peito aos poucos. Com todas essas mudanças, comecei a ter mais paciência pra amamentar e o resultado disso foi que a Júlia começou a ganhar mais peso. Que mãe não fica feliz ao saber que seu filho está crescendo e se desenvolvendo muito bem, excedendo expectativas?

Esse foi o primeiro motivo que começou a me deixar feliz em amamentar. O segundo motivo foi quando a Ju olhou pra mim pela primeira vez enquanto mamava. Essa foi a primeira vez que me senti realmente ligada a minha filha desde que ela nasceu. Percebi que eu dei a ela aquilo que ela precisava e só eu poderia dar isso.

Aos poucos, comecei a gostar mais das mamadas, inclusive das mamadas noturnas. O terceiro motivo, aquele que me fez amar a amamentação, foi quando a Ju durante a mamada, largou o peito, olhou pra mim e sorriu! Foi um dos momentos mais emocionantes que passei com ela.

Agora, a amamento sempre que ela pede, o quanto ela quer, mesmo que tenha que acordar 1 milhão de vezes durante a madrugada para saciar sua fome.

Amo ver minha filha com sua pequena boquinha me sugando, principalmente agora que ela aprendeu a segurar o "tete" e faz carinho em mim enquanto mama. (:

Amamentar é um investimento para toda a vida.

Amamentar é uma das coisas mais bonitas e naturais que existe. Não há porque ter vergonha de fazer isso em público. ♥

Nenhum comentário:

Postar um comentário