sábado, 7 de janeiro de 2012

Além do que se vê

A gravidez é um momento de grande alegria para todos, mas ainda assim sentimos aquela pontinha de tristeza.

Nos primeiros meses, eu chorava todas as noites por inúmeros motivos (muitas vezes bobos), nem deixava meu noivo dormir só para ele ficar comigo enquanto eu chorava. Sentia-me muito insegura e com muito medo, medo de não ser uma boa mãe, de não saber lidar com um bebê, de não saber guiar uma família. E as preocupações também me matavam: "Será que vou poder dar o mínimo de conforto ao meu filho? Vou ter dinheiro pra comprar todas as coisinhas dele? Tudo estará preparado para sua chegada?".

Foram três meses difíceis, muitas lágrimas, insônia, mau humor, carência, etc.

Agora, com quase 5 meses, me sinto mais calma, porém tenho outras preocupações. Fico pensando como vai ser o parto, se vai dar tudo certo comigo e com o bebê, se meu bebê está bem porque não o sinto mexer com tanta frequência, se estou me alimentando direito para que o bebê receba todos os nutrientes necessários... Enfim, mais um milhão de preocupações.

Acho que essas preocupações vão me perseguir por um bom tempo porque cada momento nos traz uma situação diferente, mesmo sabendo que está tudo bem, que seu bebê está crescendo forte e saudável, é inevitável ter esses pensamentos. O jeito é se distrair com coisas boas, passar um tempo conversando com seu companheiro, imaginando como será seu filhote, sua nova família.

Só vivendo mesmo pra saber se me sairei bem como mãe e esposa, mas a alegria de ter um bebezinho é o melhor remédio para qualquer medo ou preocupação.


"É preciso força pra sonhar e perceber que a estrada vai além do que se vê..." - Los Hermanos

Nenhum comentário:

Postar um comentário